MUSICA ELETTRONICA VIVA

Recomendación de SINSALaudio: Imprescindible!!!!

05 Dez 2009 - das 21:30 às 23:30 - AUDITÓRIO DE SERRALVES

Comemorações 20 Anos Fundação de Serralves 10 Anos Museu de Arte Contemporânea

O regresso aos palcos em 2007 e a edição no final do ano seguinte da caixa “MEV 40”, constituída por quadro CDs com registos em concerto realizados ao longo dos seus 40 anos de existência, fizeram com que o colectivo Musica Elettronica Viva continuasse nos dias de hoje a sua intervenção única.
O núcleo duro dos MEV foi sempre constituído por Alvin Curran, Richard Teitelbaum e Frederic Rzewski, a eles se adicionando Allan Bryant, Carol Plantamura, Ivan Vandor e Jon Phetteplace. Ao longo do tempo, tiveram ainda um vastíssimo rol de colaboradores, do qual sobressaíram Steve Lacy, George Lewis, Karl Berger, Garrett List e o português Carlos “Zíngaro”.
O impacto dos MEV foi tal entre os finais da década de 1960 e o início da de 70 que o realizador Michelangelo Antonioni incluiu o grupo, juntamente com os Pink Floyd e Jerry Garcia, líder e guitarrista dos Grateful Dead, na banda sonora do seu filme “Zabriskie Point”. O objectivo era claro: romper não só com as convenções da música erudita contemporânea, recusando, designadamente, a partitura, como também com as impostas por parte do jazz.
Curran, Teitelbaum e Rzewski já estiveram em Portugal, mas em outros contextos. O primeiro veio com o Rova Saxophone Quartet para uma edição do Jazz em Agosto e os outros dois integraram um quarteto com Barre Phillips e “Zíngaro”, tendo Teitelbaum também actuado em duo com o violinista de Lisboa no Centro de Arte Moderna da Gulbenkian. Juntos, e enquanto Musica Elettronica Viva, é a primeira vez que os vamos ouvir.


_Alvin Curran: electrónica
_Richard Teitelbaum: electrónica
_Frederic Rzewski: piano

Envia un comentario